domingo, 23 de novembro de 2008

Abaixo-assinados que recebemos por e-mail

Eu recebo sempre um ou outro abaixo-assinado por e-mail, muitas vezes o mesmo, mais de uma vez, enviado por mais de um amigo. Abaixo-assinado ou notícia sensacionalista, 'os americanos dominaram todo o norte do Brasil' e coisas do gênero. Na época das Olimpíadas foi uma farra, dezenas de e-mail mostrando o quanto os chineses eram malvados, eram embaraçosos até, de teor racista, cheio de clichês.

Claro, recebi este aí do cachorro também e nem descarto a possibilidade de ter assinado...pelo sim, pelo não. Às vezes são enviados por amigos tão queridos que fico em dúvida, mas na internet, o autor do artigo abaixo tem razão, é melhor desconfiar e pesquisar.

...

Um cão morrendo de fome

Por Bráulio Tavares -



A Internet entrou em ebulição algum tempo atrás em torno de mais uma “instalação de arte contemporânea” perpetrada por nossos criativos artistas. Noticiou-se que o costarriquenho Guillermo Vargas, conhecido como “Habacuc”, teria amarrado um cachorro faminto numa exposição de artes plásticas e o deixado ali sem pão nem água, até que ele morreu de fome. Um abaixo-assinado de protesto se alastrou pela rede. Blogueiros pediram a cabeça de Habacuc, sugerindo que na próxima exposição ele amarrasse a própria mãe, etc. e tal.

Eu sou da tribo e conheço os caboclos. Tudo que aparece na Internet com abaixo-assinado sempre me acende uma luzinha de alerta, porque cheira a boato, invenção, lenda urbana. Pesquisei mais um pouco e achei, se não um desmentido categórico, pelo menos uma versão diferente dos fatos. Habacuc de fato usou o cão, mas ele era alimentado diariamente, e só ficava amarrado no salão durante as horas em que a exposição estava aberta ao público. Na parede da sala lia-se a frase “Eres lo que lees” (“Tu és o que lês”) em letras formadas com biscoitos de cachorro; e um aparelho de som tocava o hino sandinista ao contrário. Bem – em termos de arte talvez não seja nenhuma “Guernica”, mas é muito mais plausível do que a primeira versão. Além disso, o cachorro acabou fugindo depois de alguns dias, numa distração do vigilante.


Continua na Cronópios

...

imagem: Dinner's in the dog, Jo Parry.

3 comentários:

JAMINE BRUNO disse...

ahahaha...lendas da internet leila. tb nao assino nem respondo nada deste tipo.

bjos

Diz disse...

Eu tenho uma amiga que confere tudo, qdo tenho dúvidas mando pra ela,que não esquece nada tb. Lembra que já recebeu, eu esqueço, passa batido.
:)
Bjs Laura

Luciano Ferreira disse...

Parabéns pelo post, a internet está muito poluída com essas falsas histórias. Por trás de uma boa intenção, muitas vezes há a malícia de hackers e spammers. É importante que, principalmente o blogueiros divulguem sempre que encontrarem uma farsa. Hoje fiz um post sobre uma mensagem denominada "Ultrage à África do Sul", se quiser dar uma olhada, fique à vontade. Um abraço!