quarta-feira, 11 de junho de 2008

Ganesha e eu e o mau humor

Kuala Lumpur, Batu Caves
...
Uma das minhas fotos da Ásia que eu já devo ter postado por aqui.
....
Hoje está um dia assim, um saco e nem sei o porquê. Tomara que seja um mau humor passageiro, mau humor que dura ninguém merece, que o diga os pobres coitados que precisam conviver comigo. É triste. Quem sabe eu não devia rezar para o Ganesha aí, com essa cara engraçada dele deve ser um deus bom para espantar mau humor. Lembrei-me de um dia, em Singapura, em que fui com um amigo a um templo da religião dele (esqueci qual, eram tantas diferentes). Eu entrei, antes eu tirei os sapatos, claro, e fiquei sentada no chão com as pernas cruzadas esperando o meu amigo terminar as orações dele. Passado um tempo veio alguém me dizer que eu não podia ficar ali, eu não entendi a razão, mas disse 'ok' e fui esperar meu amigo fora do templo, aí o cara veio me explicar que não estava pedindo para eu sair do templo, eu só não podia ficar ali onde estava. Parece que eu tinha escolhido exatamente o lugar que não podia, o meio do templo. Jamais entendi. Sempre achei difícil entender as nuances das religiões, ou melhor, dos ritos e regras.

Essa semana chega outra estagiária francesa, tomara que não seja mau humorada....cruzes!

2 comentários:

Mauro Castro disse...

também estranho os rituais. Além de dublê de escritor, sou músico. toco em casamentos, na igreja. Dia desses fomos tocar em um casamento judeu. Tive que colocar um chapeuzinho na cabeça...quipá?
foi legal: sou careca mesmo.
Há braços!!

ALLAN CUNHA disse...

Lembrei de um livro, uma coletânea, do Ruy Castro.
"O melhor do mau humor".
É um livro engraçado!