segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

FUN HOME


Fun Home
Uma Tragicomédia em Família
Alison Bechdel
Editora: Conrad



Fun Home foi lançada no Brasil no final de 2007, pela Conrad, eu tinha lido em algum lugar que seria em 2008. Será que adiantaram? Pode ser, a HQ já estava a toda nos Estados Unidos, onde foi lançada em 2006, e também na Europa. Trata-se da biografia de Alison Bechdel, uma moça corajosa e honesta, pelo menos é isso que ela passa através da história, a sua história e a do seu pai, principalmente. A mãe também está bastante presente, mas a prioridade é dada à figura do pai, um homossexual que nunca teve coragem de sair do armário, que mantinha relações com o baby-sitter dos filhos ou seus próprios alunos. Alison conta tudo, é a impressão que temos. A história não é linear, num momento ela trata da infância, no quadrinho seguinte já está na universidade lendo uma carta do pai com quem a autora tinha muitas afinidades intelectuais. Ela e o pai são leitores compulsivos, a história está repleta de referências literárias: Proust, Wilde, Joyce, Colette e uma longa lista. Referências são sempre um risco, pode resvalar certo pedantismo. Não é o caso aqui, são bem colocadas, são irônicas e verdadeiras e todo mundo que gosta de literatura se diverte encontrando ali os autores, citações, capas de livros.


O título é bastante interessante, o FUN remete primeiramente à idéia de uma casa divertida, mas é também uma alusão à casa funerária, Funeral Home, que era propriedade de sua família e que eles costumavam chamar de Fun Home. Quem já viu a série Six feet under, não vai deixar de perceber uma relação. Sobretudo que Alison é gay, assim como um dos personagens de Six feet under. Ela, ao contrário do pai, sai logo do armário, antes de ter a sua primeira relação já vai abrindo o jogo para a família e colegas de universidade.

Alison Bechdel nasceu em 1960, na Pensilvânia, é também autora de Dykes To Watch Out For, já recebeu um prêmio Eisner.Não é pouco.

Aqui dá para ler uma parte.

6 comentários:

ivan lima disse...

leila, adorei, principalmente a homenagem a henri cartier-bresson. abraço

Polly disse...

interessante....
minha lista de livros está ficando enooorme....no momento estou lendo "memórias de minhas putas tristes" gabriel garcia, tô adorando...bjocas

bruno disse...

não conheço, vou procurar...

a propósito! bom ano!cheio de fun!

bruno disse...

i will try to have fun too!

anjobaldio disse...

Ôi Leila, se você tiver um tempo, dá uma olhada no vídeo TATURANAS lá no meu blog. Grande abraço.

Fernando Sampaio disse...

Leila, assista Death at a Funeral, acho que você vai se divertir...