sexta-feira, 22 de maio de 2009

O Poema da sexta-feira

Psicografia

Também eu saio à revelia
e procuro uma síntese nas demoras
cato obsessões com fria têmpera e digo
do coração: não soube e digo
da palavra: não digo (não posso ainda acreditar
na vida) e demito o verso como quem acena
e vivo como quem despede a raiva de ter visto

Ana Cristina César

Um comentário:

Sonia disse...

Leila, como seu blog de contos não tem espaço para comentários, venho aqui dizer que gostei muito do seu "A casa e os signos".