quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Á beira de um ataque de nervos

Sem tempo e sem vontade de escrever aqui...
Agora vai um desabafo e uma consulta. Eu já não estava lá muito calminha e hoje me telefonou um senhor 'doutor' fulano de tal (acentuou bem o doutor para a secretária, ela me disse), eu peguei o telefone pensando que fosse um médico, embora não estivesse esperando telefonema de médico nenhum. Daí o homem me explicou que eu tinha pedido (segundo ele, eu não me lembro de ter pedido coisa nenhuma) a inclusão de um número de telefone numa tal lista. Está claro para mim que se trata de pilatragem, vi na internet que é comum, inclusive. O problema é que, vi isso também na internet, eles podem mesmo mandar o meu nome para o spc (ou algo do gênero) e depois cabe a mim entrar com um processo por danos morais. Será possível uma coisa dessas? O povo é quase fantasma...Eu não quero perder meu tempo me defendendo de fantasmas. Já perdi uma manhã inteira no telefone com o pilantra. Caro leitor, você já passou por essa? Conhece alguém que já passou? Disseram-me que devo simplesmente ignorar...faço isso?

13 comentários:

Anônimo disse...

Entre em contato com a polícia ou algum advogado, só para evitar futuro transtornos...

Dona Minhoca disse...

Ignora.

Sonia disse...

Por isso igualzinho ainda não passei, mas fui brindada com um upgrade da NET que não pedi. Aliás upgrade só na conta, porque na tela continuei com os mesmos canais. Esperneei, lembrei que cobrança indevida agora - é lei - tm que ser devolvida em dobro. Na mesma hora se dipuseram e estornar em minha conta o que foi cobrado a mais.

JAMINE BRUNO disse...

isso tá com cara de golpe! acho melhor entrar em contato com um advogado e entrar em contato com o juizado de pequenas causas...

Wagner disse...

E o tal "doutor" tinha como provar que você fez a solicitação? Se não houver um documento com seus dados pessoais e/ou assinatura que "oficialize" o tal pedido creio que não há o que temer. Ou será que o fulano forjou algo em seu nome? Mas para isso ele teria de ter alguns de seus dados pessoais, não? Por via das dúvidas, melhor mesmo consultar alguém que entenda de leis e saiba que providências tomar. Mas é um absurdo que se tenha que perder tempo (e talvez dinheiro) com “problemas” que não criamos e que temos de resolver para que não se tornem ainda mais sérios.
Boa sorte na resolução desse inconveniente, Leila.

Abraço.

Laura disse...

Eu recebo emails TODOS os dias de pilantras dizendo que meu nome está no spc, qu eo cadastro está vencendo, uma vez um me escreveu que eu tinha que me apresentar na polícia, etc e tal - fui conferir o nome do capitão e existia, ma sele pegam o nome do capitão e fazem as sacanagens com A GENTE. tUDO PARA ROUBAREM SEUS DADOS E ...
UM SACO...
desculpe a letra grande, esbarrei aqui, agora vai ficar:)
vou jantar, estou cansada.
bjs querida
Laura

Laura disse...

E me chateio com cobrança indevida de sky, revistas ed. três, ed. Abril, já fui pro procon, é um sacooooooooooooooooooooooooooo
odeio estas coisas. me deixam à beira de um aataque de nervos tb.
tanto que voltei aqui :)
laura

anjobaldio disse...

É um absurdo esta invasão de domicílio. Ninguém está seguro.

Polly disse...

grrrrrrrrrrrrrrrr
Concordo com o wagner, ele tem que ter provas, assinaturas e tal...
que saco hein????????????????

Rafael Reinehr disse...

Prezada Leila, encontrei seu blog procurando colaboradores para um grande projeto colaborativo cooperado que estamos desenvolvendo no Brasil.

Chama-se O Pensador Selvagem, e será um site (http://opensadorselvagem.org) que tratará de integrar, como se fosse uma grande e interligada revista, várias áreas do conhecimento.

Dentro desta revista, estaremos publicando uma seção chamada "Este País", onde pessoas que moram fora do Brasil contarão suas experiências de vida através de textos e imagens (áudio e vídeo são possíveis, para os mais "tecnológicos") no exterior. A publicação poderá ser feita em português ou na língua nativa de sua moradia (ou, inclusive, em ambas, se assim o desejar).

Para poderes participar, deves ter disponibilidade de enviar-nos um arquivo (texto/imagem/texto com imagens/som/video) pelo menos 1x/semana ou, em casos excepcionais, a cada 2 semanas.

Se houver interesse de sua parte em participar deste projeto, que contará com a participação de pessoas de todo o mundo, aguardamos seu contato. Será uma ótima oportunidade de agregar e congregar pessoas interessantes que tenham no coração e no espírito experiências para compartilhar.

Além disso, também poderás colaborar dentro das diferentes Seções de que o site irá dispor, de acordo com sua profissão ou área de interesse. Se gostas de escrever sobre algum dos assuntos enunciados em nossa Carta-Convite (http://opensadorselvagem.org/carta_convite_ops.pdf), sinta-se à vontade de nos contatar através do e-mail contato@opensadorselvagem.org. Se tens vontade de escrever sobre um assunto que ainda não se encontra por lá, que tal nos contatar e ver a possibilidade de criar uma nova Seção? O site, eminentemente colaborativo, aceita este tipo de sugestão e estará sempre aberto a boas idéias.

Um abraço fraterno,

Rafael Reinehr e a Equipe d'O Pensador Selvagem.

rosangela disse...

Eu já pensei sobre este caso seu, mas sinceramente não sei opinar. Por aqui correm uns golpes de telefone e a melhor pedida é desligar depressa, sem dar corda. Imagine, já quiseram até me convecer a investir em contruções em Dubai... Tem cada uma...
Vou pra Minas sim... :)
abraços,

Wagner disse...

Espero que você já tenha conseguido se livrar do tal "doutor" e dos aborrecimentos causados por ele.

Abraço.

Manoel Carlos disse...

Se você não pediu, se não assinou documento algum, ignore.
Antigamente os bancos enviavam cartoões de crédito. Um amigo meu recebeu um, na mesma hora o quebrou, evidentemente jamais on usou. Tempos depois o banco cobrou mensalidade, taxa de alguma coisa etc. Ele ligou para o gerente e perguntou se o gerente resolveria o problema na hora ou preferia que o advogado dele entrasse em contato. Nunca mais o banco cobrou patavinas.
Eu tive problemas, mas era de um cartão de crédito que eu usava. Houve um lançamento indevido, dois meses depois eles estornaram, mas ficaram me cobrando os juros sobre o não-devido. Tive que entrar na justiça e recebi, a título de danos morais, cerca de quinze mil reais.
Você está sumida...