sábado, 27 de março de 2010

Na Islândia as mulheres não estão à venda

[Muito interessante este post que li em Sexismo e Misoginia]

Na Islândia as mulheres não estão à venda e se calhar não é por acaso. Johanna Sigurdardottir[1], uma mulher, é primeira-ministra. Johanna conseguiu proibir no país os clubes de strip que, como facilmente se percebe, na maioria dos casos e das situações, são uma fachada para a prática da prostituição. Com esta medida, a indústria do sexo no país tem de fechar as portas e a Islândia passou a ocupar a posição 4 no ranking de 130 países quanto ao índice da diferença de género (os três primeiros também são países escandinavos).

continua....
...

[Gostei também deste que li no Oriente-se]


O custo de nossa fé na redenção

Contardo Calligaris

GLAUCO MAL me conhecia, mas eu o conhecia bem: ele era presença familiar no meu café da manhã, a cada dia, há muitos anos. Dos personagens que ele inventou, em suas tiras na Folha, quais são meus preferidos? Gosto muito do silencioso Nojinsk, de Zé do Apocalipse e do Casal Neuras, mas Geraldão e Geraldinho são os que mais me tocam, talvez por serem retratos milagrosamente exatos da voracidade que é, hoje, um traço dominante, em todos nós, adultos e crianças. Por sorte, vou poder matar a saudade, pois os dois personagens ganharam coletâneas em livros (LPM e Companhia das Letras, respectivamente).

Continua...

2 comentários:

Diz disse...

Obrigada pela força, ma chérie. Bjs Laura

Diz disse...

Aqui a gente precisava de mulheres destas no poder- temos mulheres, pero...
tt prostituição aqui... meninas de menos de 15 anos- e aqui não consideram pedofilia depois dos 12 anos! ouvi da boca de gente importante- prof universitário, jornaista- chocante. Bjs Laura