domingo, 26 de outubro de 2008

O Morro dos Ventos Uivantes

Achei na internet que Wuthering Heights tem os seguintes títulos em português: O Morro dos Ventos Uivantes, O monte dos vendavais ou ainda Colina dos vendavais. Eu só conhecia o primeiro título O Morro dos Ventos Uivantes. Em francês também há vários títulos, Les Hauts de Hurlevent ou Hurlevent des Monts...


O livro impressiona em muitos aspectos, tanto a concepção da obra quanto a obra em si, o personagem principal é bem 'malvado', mas sempre age por 'amor', é uma história de amor e vingança. Eu não sou Madre Teresa de Calcutá, mas vingança é um sentimento que tenho dificuldade em entender. Acho que é o meu lado nihilista, pra que me vingar de alguém se estamos todos num barco furado? Na verdade, eu acho que o personagem de Wuthering Heights passa a vida arquitetando vinganças para no final chegar a uma conclusão parecida. Mas antes deste final, durante toda a vida, dispende muuuita energia com esse objetivo, a vingança, em mente.

Enfim, pode ser uma opinião pessoal. O livro é grandioso, entretanto, não dá para resumir e nem quero. O único livro de Emily Brontë, uma das famosas irmãs que morreu antes dos 30, sem saber, claro, que o livro seria um fenômeno.

Parece que há 4 adapatações do livro para o cinema, uma é de 1992, veja aqui: Filme com Juliette Binoche e Ralp Fiennes. Fizeram também uma telenovela no Brasil em 1967 (TV Excelsior) baseada no livro. Nunca ouvi falar.

Um pequeno trecho:

"That, however, which you may suppose the most potent to arrest my imagination, is actually the least, for what is not connected with her to me? and what does not recall her? I cannot look down to this floor, but her features are shaped on the flags! In every cloud, in every tree—filling the air at night, and caught by glimpses in every object by day, I am surrounded with her image! The most ordinary faces of men and women—my own features—mock me with a resemblance. The entire world is a dreadful collection of memoranda that she did exist, and that I have lost her!"Chapter XXXIII

"Um dos mais belos livros da literatura de todos os tempos"Georges Bataille

3 comentários:

JOCENDIR CAMARGO disse...

É gostoso passear em suas páginas... aprende-se sempre um pouco mais... fiquei feliz com sua visita e espero volte mais ezes...
uma boa semana e um beijo com carinho...

Sonia disse...

Sim, é impossível resumir o Morro.
Entre as coisas que me assombram nesse livro uma é o fato de uma mulher solteira (solteira no sèculo XIX), criada num local ermo por um pai severo, com pouquíssimos contatos com o mundo, pôde descrever tamanha paixão. Paixão para além da vida, que une Catherine e Heathcliff. É uma obra gótica, que permanece sempre à beira do kitch e do dramalhão, mas jamais resvala. (ou resvala e é belíssima assim mesmo?) Já sentiu, né, minha paixão absoluta pelo livro.

Sonia disse...

Catherine Earnshaw, may you not rest as long as I am living! You said I killed you—haunt me, then! The murdered do haunt their murderers. I believe—I know that ghosts have wandered on earth. Be with me always—take any form—drive me mad! only do not leave me in this abyss, where I cannot find you! Oh God! it is unutterable! I cannot live without my life! I cannot live without my soul!