terça-feira, 25 de março de 2008

Lendo (ainda) Lolita em Teerã.

Estou lendo muito devagar este Lolita em Teerã, por isso vou comentando assim aos pedaços. Achei curioso o comentário que alguém deixou no meu post logo abaixo sobre o livro "mulher que tem medo de morrer em luta pelos seus direitos merece a servidão imposta". Eu não sei quem é o autor do comentário, talvez seja alguém muito jovem e imaturo. No decorrer da leitura podemos ver, justamente, que as iranianas não ficaram de braços cruzados deixando que a 'revolução islâmica' tomasse conta da vida delas, tampouco ficaram as paquistanesas e tantas outras quando os brutamontes chegaram com suas armas modernas e barbas medievais. Infelizmente a vida não é assim tão fácil e 'servidão' não é só véu, chador, burca, servidão é também um salto de 15 cms, é botox, lipoaspiração, é obsessão por manequim 38 ou menos ainda, como já escreveu uma autora muçulmana. Nós conhecemos pouco esta cultura para julgar.

Voltando ao livro, uma das maravilhosas mudanças que a revolução islâmica fez: mudar a idade legal de casamento para a mulher, antes era de 16 (ou 18, não me lembro bem) e depois da revolução passou a ser 9. Nove, dá para imaginar? Ou seja, legalizaram a pedofilia. E uma das análises de Lolita (o de Nabokov) aceitas por um professor da universidade de Teerã é a de que Lolita é uma garota sedutora que corrompe Humbert e acaba com a sua carreira, ele, um 'intelectual' com tudo para vencer. Se o professor leu o livro, leu muito mal.
....

5 comentários:

nora borges disse...

Olá, li os posts e os comentários. Você continua escrevendo muito bem e trazendo sempre assuntos muito interessantes.

"(...)" disse...

Nossa! Não consigo ler livros assim...

vivendo disse...

Leila,
pela net encontrei seu blog e alguns outros.Queria poder ficar aqui mais tempo para ler tudo!!Enquanto não dá vou lendo aos poucos.Tudo aqui é bem bacana!Quando eu era adolescente estudava francês no colégio e me lembro da professora dizendo que consoante final não se pronunciava...já esqueci tudo, mas acho que era isso que ela dizia...beijo, e prazer em conhecer um espaço tão bem feito!Vivi Amorim

Sonia disse...

servidão é também um salto de 15 cms, é botox, lipoaspiração, é obsessão por manequim 38 ou menos ainda.
Quanta verdade!

Fernando Sampaio disse...

Recomendo As Mulheres de Cabul de Harriet Logan. Bem instrutivo sobre o que as mulheres lá pensam.