domingo, 12 de março de 2006

Janaína, a rainha do bar


Boa noite, tudo bem? Prazer, sou Janaína, mais conhecida como ‘Janaína, a rainha do bar’. Engraçado, não? Janaína é a rainha do mar, caso você não saiba. Não deve ter entendido o trocadilho, hein? Posso me sentar aqui um momentinho ou você está esperando alguém? Não se preocupe, é só um minutinho até eu te contar essa história do meu nome, você não se incomoda, né? Você é bem calado, hein? Não tem importância, eu falo por dois…quando bebo, então. Falando em beber, meu copo está vazio, posso servir um pouco dessa sua cerveja? Bom, quem cala consente. (Caramba, esse sujeito é mudo ou o quê?) Posso ver a capa do seu livro? Ah, capito, você é gringo. Como é que a gente vai se entender? Amanda, vem cá tentar me ajudar, o cara aqui é gringo, não tá entendo nada do que eu falo, olha aqui o livro dele, nem sei que língua é essa. Vem cá que eu quero tascar esse gringo hoje, me ajuda, cacete! Ei, ei onde é que você vai? A Amanda já vem traduzir pra gente….Ahn, você é brasileiro? E porque não falou logo, filho de uma égua, e eu me expondo desse jeito, que vergonha. Vai pro caralho, vai, vai caçar macho. Deixa prá lá, Amanda, que o idiota era brasileiro mesmo e já se foi, o boiola. Não tem importância, deixa prá lá.
.........................
em Anjos de Prata
Leila Silva
Imagem: Edward Hopper - Nighthawks

8 comentários:

Anônimo disse...

Safado! Mas o charme da terrinha atrai, né?
:)

Marilia Mota disse...

O Anonymous acima sou eu. Cliquei antes da hora. Amanda foi se encantar justamente com um brasileiro. E bem típico. Parece praga!

Bjs

Sonia disse...

Odoyá, Leila.

rosangela disse...

òtimo. Estou aqui rindo sozinha...
Abraço,

Udo disse...

ótimo! preciso escrever um conto sobre umas meninas lá de Itu...

Thiago Quintella disse...

Gostei desse texto, muito mesmo! Tem mita coisa por trás disso. ela fala demais, achac que não a ouve é gringo e ficou provado que ninguém a ouve por falar demais. Assim, Janaína acha que brasileiro que não fala com ela é boiola, expunha-se totalmente e esse éo trabalo dela, mas ficou chateada. E se o gringo-brasieliro tivesse grana!?

Manoel Carlos disse...

É curioso como você constrói seus personagens, eles têm vida, por exemplo, esta Janaína me faz lembrar uma baiana, de outros contos seus, que tem uma relação litigiosa com o ex-marido, um belga.
Eu ri um pouco da situação, também é outra característica de seus textos o humor, às vezes dramático, como um elemento de fundo.

nora borges disse...

Leila, adoro seus contos. Manoel soube dizer isso, a gente ri,se encanta, reflete sobre a mensagem, "vê" o personagem mesmo quando você não o descreve. Só com "ouvir"sua fala!