segunda-feira, 6 de dezembro de 2004

Molière, o impostor!


Molière impostor, quem diria? Bom, aparentemente muita gente, pelo menos é o que diz um artigo que acabo de ler na revista ‘Magazine Littéraire’, n. 433. As maiores peças de Molière não teriam sido escritas por Corneille? O debate nem parece novo, Pierre Louys já tinha levantado a hipótese baseado numa intuição em função das semelhanças de estilo, de língua e de situações.
Hoje um historiador, Pierre Boissier, volta ao antigo tema e vai ainda mais longe que seus predecessores, afirmando que Molière nunca escreveu uma única peça em toda a sua vida. No seu livro l’affaire Molière, o historiador trata Molière como ‘Le comédien’ (o ator) e nunca como escritor. Os fatos são, no mínimo, perturbadores – diz a revista – pois Molière trabalhou em inúmeras peças de Corneille e foi quando este parou de escrever que o talento de Voltaire desabrochou.

Apesar da séria documentação já levantada, alguns consideram que ainda é cedo para se tirar conclusões. Por que Corneille teria feito isso sem deixar nenhuma pista, uma confissão, uma carta que pudesse ser lida depois de sua morte? É uma questão importante a ser respondida, acredita o autor do artigo.

....................................................................
“These words I write keep me from total madness.”

Charles Bukowski

3 comentários:

Manoel Carlos disse...

Quer dizer que o teatro francês é bastardo?
Realmente, pertubador.
Você citou Bukowski, um dos autores preferidos de Flora.

Allan Robert P. J. disse...

Completando o pensamento do amigo Manoel: bastardo mas também não se conhece a mãe. É órfão!
Se você lê em espanhol, procure um livro chamado "La Escatologia Mussulmanica En La divina Comedia" de Miguel Asin Palacios, um padre do início do séc. XX, membro da Real Academia Espanhola, que demonstra como Dante traduziu de escritos árabes, boa parte da Divina Comédia.
Ciao

Anônimo disse...

Bom........