sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

In the mood for love


Um dia desses vi esse filme que eu 'estava para ver' há muito, mas muito tempo mesmo. Desde a época que o filme saiu uma amiga me indica...é bonito, adorei. Uma história de amor e amantes, toda enrolada, cheia de não-ditos e tentativas. Silêncios e olhares. E muitas cores bonitas também.
...
E meu blog tão abandonado. Não é só o blog, é da internet de um modo geral que estou afastada por causa de trabalho, preguiça. Preguiça de internet? Não sei, preguiça de tudo que às vezes me bate e que um dia tentarei explicar melhor. Explicar para quem? Para mim, inclusive.
....
Mas tenho visto muitos filmes que queria ver e tenho lido, menos do que gostaria, mas tenho lido e tenho sido 'social'. Mais 'social' do que eu gostaria. O que isso de 'ser social'? É ter que fazer o que em inglês se chama de 'small talk'.
Mas está tudo sob controle. E agora vi que tem mas demais aqui...que pena!

8 comentários:

dom noronha disse...

é bom que tenha mas demais. é bom que tenha o olhar pra dentro e saiba distinguir o que vai ficar do que é apenas small talk. é bom que existam vontades não satisfeitas (ainda). é bom que de repente o estar só e não ter pra quem contar possa até ser bom. é bom que embora eu não tenha a sua cultura e os seus títulos, tenha gostado tanto de seus escritos.
e pensar que tudo isso existe agora porque resolvi pesquisar acerca de Goiás Velho na internet...

Polly disse...

eu AMO este filme!!!!
assisti há muito, muito tempo atrás...e tenho uma amiga que adora tbém, daí um dia ví um postal dele e enviei pra esta amiga minha...só mesmo como forma de celebrar o que a gente gosta em comum:)
acho que fim de ano é muita correria e esta preguiça bate me mim também...
adoro seu blog:)
bjs

Allan Robert P. J. disse...

A vida é feita de momentos e é essa instabilidade que faz tudo tão fascinante. Aproveite para reler "Fragmentos de um discurso amoroso" do Roland Barthes. No clima em se encontra, você vai descobrir coisas que antes nem tinha notado.
:)

Sonia disse...

Não vi esse filme, vou botar na lista. Também ando sem tempo para a Internet - decidi até fechar o meu blog. Mas continuarei passando por aqui.

Anônimo disse...

O que se leva da vida é a vida que se leva. Contudo, não vivemos como quereros, mas como podemos. O importante é fazer o melhor, dentro das possibilidades. Há até quem faça o melhor a partir das impossibilidades, como a poesia de Manuel Bandeira.
Manoel Carlos

Fernando Sampaio disse...

Gnahei um livro se auto ajuda de uma americana chamado "The Art of Small Talk". Horrível, detesto isso, prefiro muito mais ler e escrever...Mas fazer o que, um dia tenho que aprender a ser social também...

Diz disse...

Que post bom de se ler... saber mais de vc, com mas ou sem mas, é bom.
Bjs Laura
e tks pelo courage :)

rosangela disse...

Mas a mais, mas sempre que possível, melhor que mas a menos. :)
bjs